Política

Prefeito de Simões Filho tem salário de quase 27 mil, é um dos mais bem pagos do Brasil

Publicado dia 25/10/2017 às 12h33min
O salário é quase igual ao do presidente da república Michel Temer, que chega um pouco mais de R$ 27, mil.

O salário do prefeito de Simões Filho, Diógenes Tolentino – Dinha (PMDB), é o mais alto entre os mandatários na posição de prefeitos mais bem pagos na capital e todas as cidades da região metropolitana de Salvador (RMS). Segundo levantamento do site Simões Filho online, o chefe do Executivo, recebe atualmente um subsídio de R$ 26.880,00, deixando a capital baiana atrás com apenas (R$ 18 mil) o Prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), recebe mensalmente, R$ 8 mil a menos para governar uma capital com três milhões de habitantes, e tem a maior arrecadação da Bahia.

Já Antônio Elinaldo (DEM), em Camaçari, recebe mensalmente R$ 16.811,29, ou seja, R$10 mil a menos para gerir o município com a segunda maior arrecadação do estado. Outro exemplo é a remuneração do prefeito da maior capital do país, São Paulo. João Doria (PSDB) recebe vencimentos no valor de 24 mil. Doria doou todo seu salário para entidades beneficentes durante todo seu mandato. Já o atual presidente do Brasil, Michel Temer (PMDB), recebe vencimentos no valor R$ 27,8 mil. O valor bruto chega a R$ 30.934,70.

Em comparação com a  capital e todas as cidades da região metropolitana de Salvador, o gestor simõesfilhense tem o maior salário, ficando bem próximo da remuneração do presidente da república, Michel Temer. Na segunda posição dos prefeitos mais bem pagos da RMS, está a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), com o salário de R$ 26 mil. Em terceiro lugar vem a prefeita de Dias d’Ávila, Jussara, com o salário de R$ 22 mil. Os dados estão disponíveis no site do Tribunal de Contas do Município (TCM).

Vale informar que cabe aos prefeitos dos municípios ditar o teto salarial, desde que não ultrapasse o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que este ano passou para R$ 39 mil. Por lei, nenhum servidor pode receber salário maior que o de um ministro do STF.

Ministério Público

A 4ª Promotoria de Justiça de Simões Filho chegou a abrir um inquérito civil para apurar suposta ilegalidade no aumento dos gestores públicos na cidade. O inquérito civil da promotora de Justiça Lara Ferrari Fonseca visa averiguar se o aumento salarial se configura uma “afronta à Lei de Responsabilidade Fiscal”. Desde janeiro deste ano, o salário do prefeito passou a ser de R$ 26,8 mil; vice, R$ 13,4 mil; secretários municipais, R$ 11,3; e vereadores, R$12,6 mil. No momento, não há informações sobre o andamento das investigações do MP.


Publicidade

Vídeo da Notícia


Áudio da Notícia

Fonte: Simões Filho Online

Compartilhe