Política

Vereadores de Madre de Deus cobram da APMI atendimento de qualidade no Hospital

Publicado dia 14/09/2017 às 07h11min | Atualizado dia 14/09/2017 às 07h28min
Na discussão, o presidente do Poder Legislativo e autor do projeto pediu apoio da comunidade para reduzir o recesso dos vereadores.

Os vereadores de Madre de Deus cobraram durante a sessão ordinária desta terça-feira (12) uma melhor assistência no Hospital Municipal.

O Presidente da Comissão de Saúde na Câmara, o vereador Kikito Tourinho (PPS) destacou a falta de pagamento no Hospital.

 

“Eu como presidente [da comissão] não posso me omitir estou chamando a atenção a alguns sessões da saúde que está um caos!”, disse Kikito.   

O presidente da Câmara Marden filho de Tutuca (PC do B) pediu a Secretária Municipal de Saúde,  Rosânia  Rabelo para cobrar providencias ao responsável pela APMI empresa que administra o Hospital na cidade.

 

“Meu filho tá pra nascer, eu posso tá falando aqui agora e minha mulher pode ter vontade de ter menino, e não tem anestesista nesse Hospital”, disse o presidente, e completa afirmando que não tem plano de saúde.

 

O vereador Val Peças (PSL) pontuou as declarações do presidente da Câmara para enfatizar a situação do Hospital.

“Olhe a que ponto chegamos, se isso esta acontecendo, essa insegurança esta acontecendo com o presidente do segundo poder do nosso município. Imagina o que não acontece com um cidadão humilde do nosso município”, disse Val. Segundo ele, até um medico chegou a revelar problemas no Hospital.

 

A líder do governo na Casa, Jodiane Alves (PRB) ponderou as criticas afirmando que a empresa esta para sair, mas o prefeito esteve no hospital para cobrar um melhor resultado da empresa no Hospital. Ela ainda ressalta que infelizmente quando as empresas estão saindo acabam agindo dessa maneira.

 

Ordem do dia.

 

Na ordem do dia, os vereadores aprovaram o projeto de resolução número 012 /2017 que  altera o regimento interno nos  artigos 29 e 7º  do Código de Ética e Decoro Parlamentar.  

 

O presidente da Casa seguindo o regimento interno atendeu ao pedido dos vereadores da bancada oposicionista que solicitou a instalação da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara. Em seguida, aconteceu a 1ª discussão do projeto de resolução 011/2017, de autoria do vereador Marden Lessa (PC do B) que pretende reduzir o recesso parlamentar de 60 para 30 dias.  Na discussão, o presidente do Poder Legislativo e autor do projeto pediu apoio da comunidade para reduzir o recesso dos vereadores. 

 

Segundo ele, dois meses de recesso pode ser legal, mas é imoral. Ele ainda destaca que os parlamentares  já começam o mandato saindo de férias. Para ele, diante do tamanho da cidade 30 dias de férias  são suficientes para qualquer trabalhador.

 

A Câmara também discutiu o Projeto de Lei 018/2017 de autoria da Vereadora Joyce Lima (PRB) para incluir no calendário de eventos do município o dia de consciência jovem. O projeto de autoria da vereadora Joyce pretende enfatizar uma data de consciência da juventude no domingo do mês de abril, essa foi a 1ª discussão do projeto da vereadora. 


Publicidade

Vídeo da Notícia


Áudio da Notícia

Fonte: Madre sem Média

Compartilhe